"Uma História para Elise": peça retrata o cotidiano de atores transformistas

Classificação Indicativa: 16 anos.

Apresentação
A investigação sobre o suposto sumiço de uma artista da noite movimenta a tradicional boate da Rua XII, no centro velho de uma grande cidade, colocando em dúvida o contraditório depoimento de Albertina (Natasha Sahar), Bernardina (Lara Oliver)  e Campesina (Kate Dias), três personagens coadjuvantes dessa casa noturna. Este é o enredo de “Uma História para Elise”, de Anselmo Dequero, montagem do PoloAC.

O espetáculo é resultado da conclusão do primeiro módulo de estudos, pesquisas e de prática de montagem instituído pelo Curso Livre de Teatro. “Esta é uma montagem experimental e de conclusão do curso, que teve início em janeiro de 2020. Neste período, pudemos aliar à teoria do teatro uma série de atividades práticas com a finalidade de garantir o melhor aproveitamento do curso”, complementou Anselmo Dequero.

Uma História para Elise” retrata parte do cotidiano vivenciado por três artistas - uma drag queen e duas mulheres trans - de uma boate cujo mistério em relação ao desaparecimento da principal personagem revela a hostilidade e a violência praticadas por um oficial de justiça. Antero da Redenção busca por respostas, mas ignora o respeito à Albertina, Bernardina e Campesina, personagens coadjuvantes incluídas no suposto sumiço.

“Este oficial de justiça acredita que as artistas da boate possam esclarecer o mistério em torno do desaparecimento de Elise, que sumiu sem deixar vestígios. Mas, para isso, usa do dito ‘rigor da Lei’ para conseguir informações”, disse. “Ele (Antero da Redenção) simplesmente se torna agressivo e parece não se incomodar com a violência sobre Albertina, Bernardina e Campesina, atores transformistas ainda em início de carreira”, finalizou.

Curta e inscreva-se no canal de humor mais abençoado do Brasil

Os melhores vídeos disponíveis para você na maior e melhor plataforma do gênero em nível mundial. Clique aqui!

Espetáculo Contrate

"Uma História para Elise" foi produzido com o intuito de propor uma reflexão acerca do cotidiano de dois atores transformistas que trabalham numa boate do subúrbio de um grande centro urbano. O espetáculo retrata o brilho da noite, além da violência comumente evidenciada por artistas no país. Suspense empolgante!

Contato |Elise
contato@poloac.com.br
19.99334 8624 WhatsApp